Criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey

Huaraz: um paraíso a 400km de Lima, Peru

June 13, 2019

O Chile e a Bolívia tem paisagens e lagunas incrivelmente lindas, mas o Peru, especialmente na região de Huaraz, o espetáculo é absurdamente surreal! As cores das lagunas que visitei no Huascaran National Park - Paron, Llanganuco e 69 - é de um tom de azul e verde tão vivos, que parece que jogaram pigmento nelas e é inacreditável o quanto são lindas. Além de belezas naturais, essa região tem o povo Chavin como antepassado e visitei algumas ruínas e museu muito legais, onde aprendi mais sobre a história do Peru. É nesse post que conto como foram meus 3 dias em Huaraz e os passeios que fiz nessa região. (Valores no final do post)

DIA 1: Depois de 9 horas de estrada com o bus da Cruz del Sur, cheguei em Huaraz às 6h da manhã na rodoviária simples da cidadezinha. Logo depois, um carro passou me buscar, já que fazia parte do pacote que contratei com a agência Peru Qorianka o translado até o hotel. Passei no hotel para deixar as malas e tomar um café rápido pois, logo em seguida o guia do dia passou me buscar, com mais 4 turistas, para irmos ao passeio Chavín de Huantar, Ancash, Peru. Depois de umas 3 horas de viagem, chegamos às ruínas do sítio arqueológico e um especialista nos explicou a respeito de toda a região e da cultura do povo Chavín, o qual é mais antigo que os Incas!

    Entre as ruínas, há túneis e cavernas e foi uma experiência riquíssima poder caminhar entre elas, inclusive no meio de uma delas tem uma escultura original "Dios principal, o Lanzon" (não pode ser fotografada), grandiosa e um pouco assustadora, pois você dá de cara com ela no meio do caminho hahaha além disso, em uma das construções, há uma "Cabeça clava"  (foto abaixo), também original

     Saindo das ruínas, almoçamos por conta da agência e antes de pegarmos estrada novamente, passamos no Museo Nacional Chavín, onde vimos outras Cabeças Claras originais e entre outros elementos desse povo tão antigo e surpreendente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIA 2: De manhã cedinho a agência passou no hotel me buscar, dessa vez com uma van para mais pessoas, para irmos a Laguna Parón. O caminho todo é lindo e bem tenso também, já que toda a estrada é de chão e passamos rente a vários penhascos entre as montanhas altíssimas da região. 

    Depois de 3 horas, chegamos a Laguna e creememDeuspai, que cor é aquela? Nosso guia nos orientou que para ter uma visão melhor, poderíamos subir um morro de pedras que fica a direita e a ver lá de cima por um "mirante". Não pensei duas vezes, comecei a subida e realmente foi como ele alertou "subam devagar devido a altitude e às pedras soltas"... em alguns momentos eu nem olhava pra baixo para não dar vertigem haha depois de uns 30 min de caminhada cheguei no ponto e realmente a vista é indescritível: montanhas com gelo margeiam aquela laguna de um azul surreal... é lindo demais! Além dessa vista pela esquerda, há outro caminho que costeia a laguna pela direita, muito bonito também, já que você vê bem de perto aquela água que mais parece de outro mundo.

    Esse passeio não é cansativo, só a altitude incomoda um pouco, já que o fôlego fica mais curto, mesmo eu estando aclimatada. Na parte da subida da montanha para o mirante foi um pouco exaustivo, mas é um caminho rápido, que vale muito a pena! É um passeio que dura o dia todo, pegamos a estrada de novo umas 15h e chegamos às 18h na cidade, não incluso refeição.

 

DIA 03: Estava escuro ainda quando a van passou no hotel me pegar de madrugada, nesse dia o destino final foi a Laguna 69, passeio mais aguardado. Pelo que eu lembro, levamos umas 2h e pouco para chegarmos na base para dar início ao trekking à laguna. No caminho paramos uns minutos para conhecer uma outra laguna, chamada Llanganuco, a água tem um tom de verde esmeralda e de novo, inacreditável.

    Depois de um tempo de admiração, retomamos a estrada e logo chegamos no início da trilha para a Laguna 69. Eu estava um pouco apreensiva, já que era uma caminhada longa e pra "ajudar", tinha a altitude. O caminho todo é fantástico, parece um mundo paralelo e mágico, rodeado de montanhas, algumas cachoeiras, riachos e muitas árvores que pareciam pintura. 

    As primeiras duas horas de caminhada são tranquilas, maior parte do caminho é plano e você começa a sentir o cansaço um pouco antes de uma pequena parada que é feita em uma laguna mais modesta e discreta, a qual indica, com uma placa, que falta 1h para chegar a 69.

   Depois de um rápido descanso, continuamos a caminhada e até ali eu estava até tirando onda, pensando que tinha me apavorado a toa... coitada hahaha mal sabia eu que a última hora da trilha que o bicho pegava. Você só sobe, sobe e sobe, o que com, altitude pegando, falta de ar e uma pressão na cabeça, parecia ser infinitamente. Teve uma hora que minhas pernas já não estavam mais obedecendo, eu puxava o ar e parecia que não era o suficiente e caí no choro, pensando "vai, que agora falta pouco", "continua que tu vai chegar nessa laguna" e escutei alguém dizendo que dali, faltava uns 10 minutos de caminhada. Foi o que me reanimou, então continuei pra acabar logo com aquilo.

    Passado os 10 min, vi uma pontinha de água azul, mas um azul que parecia tinta e ai eu só agradecia e chorava um pouco mais. Eu nem me acreditava que tinha chegado e eu não conseguia acreditar na lindeza que era aquele lugar! Nosso guia nos deixou "livres" por 1h para tirarmos fotos, comermos (lanche não incluso) e descansarmos. Teve gente que entrou na água, o que era minha ideia inicial, mas só coloquei os pés mesmo, já que a água estava congelante... (confesso que me arrependo de não ter dado um mergulho).

     Depois de um tempo, nosso guia fez sinal para começarmos a caminhada de volta, que levaria menos tempo, já que dessa vez desceríamos, o que é mais fácil, ufa hahaha Me despedi daquela paisagem saindo de ré, pra tentar guardar na mente aquela grandiosidade toda e realmente é inesquecível, só indo para entender, porque em palavras é difícil explicar essa experiência.

 

       

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    Depois de 2 horas, avistamos nossa van e Jesus, é um momento extraordinário quando você se aconchega pra voltar pra cidade hahaha. Chegando em Huaraz, fiquei no centrinho para comer algo e em seguida fui ao hotel, já que nesse mesmo dia, às 22h pegaria o bus de volta para Lima.

      Huaraz é incrível! Por mais que as fotos estejam com "boa qualidade", é impossível captar o tanto de beleza que tem o Peru, além de ter uma cultura e pessoas incríveis... eu realmente amei conhecer esse país!!! Abaixo seguem os valores e já adianto, foi a parte mais barata de toda a viagem CHILE/BOLÍVIA/PERU.

 

VALORES

Passagem bus Cruz del Sur, ida e volta de Lima - 86,00 soles

Agência Paru Qoricanka - 430 soles

       Incluso: os passeios citados no post, hotel quarto cama de casal, privativo com banheiro, almoço em um passeio, translado rodoviária. O hotel foi o Suiza Peruana, muito bom, com café da manhã ótimo e boas acomodações.

 

Espero ter ajuda com esse post, qualquer dúvida podem me mandar e-mail ou direct lá no insta @mariahhrodrigues

 

beijos

Mariah

 

 

 

Please reload